Propósito

Depois de 10 longos meses de pausa nos textos do Be Cool Boy,  cá estou eu novamente. Quem acompanha a minha trajetória pessoal sabe que o último ano foi de trabalho intenso, mudanças e decisões, e que manter tudo isso em equilíbrio foi bastante desafiador – escrevi sobre isso em um dos escassos textos que publiquei em 2018 (clique aqui para conferir).

Passado o turbilhão de acontecimentos que ocuparam a minha mente nos últimos meses, começo a tomar consciência dos aprendizados que as experiências vividas me ensinaram.  Por conta do meu pós-doutorado em Health Informatics, na Dalhousie University, estudei muito sobre o papel das redes sociais na assistência em saúde e sobre estratégias de comunicação utilizadas em em e-Health e Health Writting (escrita em saúde) e acabei fazendo descobertas interessantes sobre o Blog. Aprendi que meu estilo de escrita pode contribuir no processo de cuidado e cura de pessoas que compartilham dos mesmos anseios e necessidades que as minhas, mesmo que não tenham em suas vidas uma criança com uma condição genética rara.

O método de Narrativa Pessoal – conceituado como “o ato de contar as próprias histórias para compreender e revelar necessidades de cuidado e cura” – tem sido amplamente usado nas redes sociais no contexto da saúde. A saúde, quando feita a distância, como é o caso da e-Health, é muitas vezes vista como uma área técnica, exata e quantitativa, onde números, estatísticas, modelos lógicos e evidências ciêntificas devem ser apresentados para embasar condutas.

Porém, uma narrativa pessoal, quando compartilhada propositalmente, tem o potencial de informar, revelar, curar ou inspirar, contribuindo para melhores resultados de saúde. É como se adicionássemos uma lente humana à uma determinada situação, que enriquece a experiência do leitor ou usuário.

Em 2016, quando comecei o Be Cool Boy, minha intenção era compartilhar minhas experiências como mãe do Luca Toni, que na época, tinha 5 anos. Quase 4 anos depois, após publicações frequentes e períodos menos produtivos, percebo que meio sem querer, iniciei uma rede de apoio mútuo entre pessoas com necessidades semelhantes. Comecei a perceber que os seguidores do blog, mesmo não tendo nenhum interesse específico na condição genética do Luca Toni, a Displasia Ectodérmica, usufruiam de informações e mesnagens aqui compartilhadas. Sem saber da teoria, criei na prática uma ferramenta de comunicação em saúde que é validada pela ciência.

As histórias de nossas vidas definem e revelam quem somos. Narrá-las para os outros ou para si mesmo (através de um diário, por exemplo, que é um outro método narrativo) é uma experiência reveladora e transformadora e que pode ser utilizada como um poderoso recurso para o cuidado em saúde.

Coincidência ou não, recentemente, eu encontrei um provérbio de Nativos Americanos que dizia assim:

“Diga-me os fatos e eu vou aprender. Me fale a verdade e eu vou acreditar. Mas conte-me uma história e ela viverá no meu coração para sempre”. 

Espero que as histórias compartilhadas aqui no Be Cool Boy vivam para sempre nos corações de vocês. Estou feliz por voltar a escrever com mais consciência do meu propósito e mais ainda por saber que o Blog, além de humano, é baseado em ciência 🙂

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s